LOGO RODA de CONVERSA.png
23/06 - 19h

RODA DE CONVERSA

FALTAM 

Logo do ZOOM.png
WhatsApp Image 2021-06-07 at 21.48.24 (1

ARQUEOLOGIA DA IMAGEM

 

Temos o prazer de convidar Fernanda Terra para nossa Roda de Conversas. Dona de um olhar refinado e curioso sobre a produção imagética, Fernanda investiga o campo da arte, da criatividade, dos processos criativos e imaginativos e através de curadorias, realiza exposições arrojadas. Como historiadora da arte e pesquisadora iconográfica, também, produz conhecimento através de estudos e pesquisas em acervos públicos e privados que resultam em publicações de fôlego e que revelam aspectos importantes da história das imagens e da construção do olhar sobre o mundo. 


Autora de diversos livros, Fernanda é mestre em Museologia e Patrimônio, pós-graduada em História da Arte, arqueóloga e artista visual, membro do ICOM (Internacional Council of Museums). Dentre projetos de exposição de sua autoria destacam-se: Mestres da Gravura na Coleção Biblioteca Nacional, Traços de NY - Joaquin Torres Garcia, Diálogos Urbanos, Desobediência Tecnológica – Ernesto Oroza, Jorge Fonseca, dentre muitas outras.  Foi diretora de pesquisa do Museu de Arte Contemporânea de Niterói e coordenou diversos projeto como curadora iconográfica no Museu do Futebol, Paço do Frevo, Museu de Arte do Rio, Fundação Biblioteca Nacional, etc. Suas publicações são primorosas e tratam de aspectos iconográficos da história do Brasil, como o livro: Salvador, uma iconografia através dos séculos; O Outeiro da Glória, ganhador do prémio RIO450; Mestres da Gravura, em comemoração aos 200 anos da Fundação Biblioteca Nacional, dentre outras. Fernanda também se dedica a consultoria e curadoria de artistas e fotógrafos no desenvolvimento de suas práticas e processos criativos que resultam em exposições, livros, textos sobre os mesmos. Para maiores informações sobre suas realizações acesse:  

06-ELZA SOARES
06-ELZA SOARES

press to zoom
20200225_carnaval 2020_DSC_4334
20200225_carnaval 2020_DSC_4334

press to zoom
GAS_3560
GAS_3560

press to zoom
06-ELZA SOARES
06-ELZA SOARES

press to zoom
1/8
elza lima.png
 

Elza Maria Sinimbú Lima (Belém, 1952), conhecida como Elza Lima, é uma fotógrafa brasileira que durante décadas registou os habitantes da região amazônica.

O trabalho de Elza Lima foca-se nas tradições culturais e no cotidiano das populações ribeirinhas do Pará, registando as festas populares, o artesanato, a pesca, as moradias, as brincadeiras infantis e a presença de ícones da modernidade, como a televisão e objetos industrializados, no dia-a-dia das comunidades. Algumas das suas imagens chamam também a atenção para a relação afetiva das pessoas com o meio ambiente.

Já expôs nos Estados Unidos, Espanha e França, Suíça, Alemanha, Portugal. As suas obras podem ser encontradas em coleções de Museus como o MASP - Museu de Arte de São Paulo (São Paulo, Brasil), Centro Português de Fotografia (Porto, Portugal), Kunstmuseum Des Kantons Thurgau (Warth-Weiningen, Suíça) e no MAM Rio (Rio de Janeiro, Brasil).

Atualmente desenvolve trabalho de pesquisa sobre as pescadoras do Porto do Milagre em Santarém, região do Baixo Amazonas, além de ministrar cursos e palestras no Brasil e estrangeiro.

LOGO RODA de CONVERSA.png
09/06 - 19h

RODA DE CONVERSA

FALTAM 

Logo do ZOOM.png
LOGO - GALERIA 3D.png

DIA DE JORGE  - VISITA GUIADA

16/06 - 19h
 

FALTAM 

Logo do ZOOM.png

A  galeria virtual 3D Segundo Olhar homenagea um dos santos mais populares no Brasil e no mundo,  São Jorge.

O santo guerreiro é um dos mais venerados no catolicismo, tanto na Igreja Católica Romana quanto na Igreja Ortodoxa e na Comunhão Anglicana.

Imortalizado na lenda em que mata o dragão. A memória de São Jorge é celebrada no dia 23 de abril.

Associado a batalhas e lutas, o sincretismo religioso e com Ogum, um orixá sem medo, guerreiro e sempre pronto para qualquer coisa. As suas lendas enfatizam a sua capacidade de superação, de liderança, de vitória. Sendo uma grande inspiração de força para os seus fiéis, Ogum é considerado por muitos como um guerreiro ideal, que sempre está de prontidão para vencer os combates.

Já na Bahia, o sincretismo de São Jorge se deu com Oxóssi, o orixá da sobrevivência, da caça dos animais, da fartura, do sustento.